Total de visualizações de página

terça-feira, 15 de maio de 2018

Lição 8 - Ética Cristã e Sexualidade

 Aula Presencial dia 20 de maio de 2018 


Estimado professor,   acredito que já tenha percebido que nosso SLIDE semanal traz uma abordagem DETALHADA de todos os pontos abordados na lição. É um resumo da lição fazendo uso de uma metodologia moderna de ensino,  tornando-o mais eficiente e efetivo. Aplica-se ao conteúdo da lição, ilustrações com figuras relacionadas com cada tópico a ser ensinado.  Faça bom uso !  Baixe o Slide no formato desejado, Tenha liberdade de cortar, alterar e adicionar conteúdo. Não deixe de Divulgar e Compartilhar nas Redes Sociais !







OBJETIVOS GERAL
Mostrar que a sexualidade é uma dádiva divina que deve ser usufruída dentro dos parâmetros instituídos pelo Criador.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
1 - Apresentar o conceito de sexualidade segundo uma concepção bíblica;
2 - Discutir os propósitos do sexo segundo as Escrituras Sagradas;
3 - Conscientizar a respeito do casamento como limite ético para o sexo.

TEXTO ÁUREO
“Venerado seja entre todos o matrimônio e o leito 
sem mácula; porém aos que se dão à prostituição e 
aos adúlteros Deus os julgará.” (Hebreus 13.4)

VERDADE PRÁTICA
A sexualidade é uma dádiva divina que deve ser usufruída 
dentro dos parâmetros instituídos pelo Criador.

PONTO CENTRAL
A sexualidade é uma dádiva divina.

HINOS SUGERIDOS DA HARPA CRISTÃ

25 - Meu Jesus tu és Bom

196 - Uma Flor Gloriosa

201 - A decisão




1 Coríntios 7.1-16
1 - Ora, quanto às coisas que me escrevestes, bom seria que o homem não tocasse em mulher;
2 - mas, por causa da prostituição, cada um tenha a sua própria mulher, e cada uma tenha o seu próprio marido.
3 - O marido pague à mulher a devida benevolência, e da mesma sorte a mulher, ao marido.
4 - A mulher não tem poder sobre o seu próprio corpo, mas tem-no o marido; e também, da mesma maneira, o marido não tem poder sobre o seu próprio corpo, mas tem-no a mulher.
5 - Não vos defraudeis um ao outro, senão por consentimento mútuo, por algum tempo, para vos aplicardes à oração; e, depois, ajuntai-vos outra vez, para que Satanás vos não tente pela vossa incontinência.
6 - Digo, porém, isso como que por permissão e não por mandamento.
7 - Porque quereria que todos os homens fossem como eu mesmo; mas cada um tem de Deus o seu próprio dom, um de uma maneira, e outro de outra.
8 - Digo, porém, aos solteiros e às viúvas, que lhes é bom se ficarem como eu.
9 - Mas, se não podem conter-se, casem-se. Porque é melhor casar do que abrasar-se.
10 - Todavia, aos casados, mando, não eu, mas o Senhor, que a mulher se não aparte do marido.
11 - Se, porém, se apartar, que fique sem casar ou que se reconcilie com o marido; e que o marido não deixe a mulher.
12 - Mas, aos outros, digo eu, não o Senhor: se algum irmão tem mulher descrente, e ela consente em habitar com ele, não a deixe.
13 - E se alguma mulher tem marido descrente, e ele consente em habitar com ela, não o deixe.
14 - Porque o marido descrente é santificado pela mulher, e a mulher descrente é santificada pelo marido. Doutra sorte, os vossos filhos seriam imundos; mas, agora, são santos.
15 - Mas, se o descrente se apartar, aparte-se; porque neste caso o irmão, ou irmã, não está sujeito à servidão; mas Deus chamou-nos para a paz.
16 - Porque, donde sabes, ó mulher, se salvarás teu marido? Ou, donde sabes, ó marido, se salvarás tua mulher?


Segunda-Feira –  Gênesis 1:27 
Deus criou o homem e a mulher com sexos diferentes
1 : 27  E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. 
Terça-Feira –  Gênesis 1:31  
Tudo o que Deus fez é bom
1 : 31  E viu Deus tudo quanto tinha feito, e eis que era muito bom; e foi a tarde e a manhã, o dia sexto. 

Quarta-Feira –  Gênesis 1:28; 9:1 
Um dos propósitos do sexo é a multiplicação da raça humana
1 : 28  E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre a terra.
9 : 1  E abençoou Deus a Noé e a seus filhos, e disse-lhes: Frutificai e multiplicai-vos e enche a terra.

Quinta-Feira –   Provérbios 5:18,19 
Entre o casal, o sexo também deve ser prazeroso e satisfatório
5 : 18  Seja bendito o teu manancial, e alegra-te com a mulher da tua mocidade. 
5 : 19  Como cerva amorosa, e gazela graciosa, os seus seios te saciem todo o tempo; e pelo amor sejas atraído perpetuamente.

Sexta-Feira –  Levitico 18:6-24 
A Bíblia proíbe e condena as práticas sexuais ilícitas
18 : 6  Nenhum homem se chegará a qualquer parenta da sua carne, para descobrir a sua nudez. Eu sou o Senhor.
18 : 7  Não descobrirás a nudez de teu pai e de tua mãe: ela é tua mãe; não descobrirás a sua nudez.
18 : 8  Não descobrirás a nudez da mulher de teu pai; é nudez do teu pai.
18 : 9  A nudez da tua irmã, filha de teu pai, ou filha de tua mãe, nascida em casa, ou fora de casa, a sua nudez não descobrirás.
18 : 10  A nudez da filha do teu filho, ou da filha de tua filha, a sua nudez não descobrirás; porque é tua nudez;
18 : 11  A nudez da filha da mulher de teu pai, gerada de teu pai (ela é tua irmã), a sua nudez não descobrirás.
18 : 12  A nudez da irmã de teu pai não descobrirás; ela é parenta de teu pai. 
18 : 13  A nudez da irmã de tua mãe não descobrirás; pois ela é parenta de tua mãe.
18 : 14  A nudez do irmão de teu pai não descobrirás; não te chegarás à sua mulher; ela é tua tia.
18 : 15  A nudez de tua nora não descobrirás: ela é mulher de teu filho; não descobrirás a sua nudez.
18 : 16  A nudez da mulher de teu irmão não descobrirás; é a nudez de teu irmão.
18 : 17  A nudez de uma mulher e de sua filha não descobrirás; não tomarás a filha de seu filho, nem a filha de sua filha, para descobrir  a sua nudez; parenta são; maldade é.
18 : 18  E não tomarás uma mulher juntamente com sua irmã, para fazê-la sua rival, descobrindo a sua nudez diante dela em sua vida.
18 : 19  E não chegarás à mulher durante a separação da sua imundícia, para descobrir a sua nudez.
18 : 20  Nem te deitarás com a mulher de teu próximo para cópula, para te contaminares com ela.
18 : 21  E da tua descendência não darás nenhum para fazer passar pelo fogo perante Moloque; e não profanarás o nome de teu Deus. Eu sou o Senhor.
18 : 22  Com homem não te deitarás, como se fosse mulher; abominação é;
18 : 23  Nem te deitarás com um animal, para te contaminares com ele; nem a mulher se porá perante o animal, para ajuntar-se com ele; confusão é.
18 : 24  Com nenhuma destas coisas vos contamineis; porque com todas estas coisas se contaminaram as nações que eu expulso de diante de vós.

Sábado –  1 Coríntios 7:2-9 
O casamento é o antídoto contra as práticas sexuais ilícitas
7 : 2  Mas, por causa da fornicação, cada um tenha a sua própria mulher, e cada um tenha o seu próprio marido.
7 : 3  O marido pague à mulher a devida benevolência, e da mesma sorte a mulher ao marido
7 : 4  A mulher não tem poder sobre o seu próprio corpo, mas tem-no marido; e também da mesma maneira o marido não tem poder sobre o seu próprio corpo, mas tem-no a mulher.
7 : 5  Não vos priveis um ao outro, senão por consentimento mútuo por algum tempo, para vos aplicardes ao jejum e à oração; e depois ajuntai-vos outra vez, para que Satanás não vos tente pela vossa incontinência.
7 : 6  Digo, porém, isto com que por permissão e não por mandamento.
7 : 7  Porque quereria que todos os homens fossem como eu mesmo; mas cada um tem de Deus o seu próprio dom, um de uma maneira e outro de outra.
7 : 8  Digo, porém, aos solteiros e às viúvas, que lhes é bom se ficarem como eu.
7 : 9  Mas, se bão podem conter-se, casem-se. Porque é melhor casar do que abrasar-se.


IMPORTANTE
Apresento neste BLOG os comentários como 
professor de EBD em cima dos tópicos da Revista do Aluno 
NÃO APRESENTAREI O CONTEÚDO COMPLETO DA REVISTA DO PROFESSOR
TENHA SUA REVISTA EM MÃOS E FAÇA UM BOM ESTUDO !



                                                   
INTRODUÇÃO
Se por um lado a sexualidade tem sido desvirtuada na sociedade pós-moderna, por outro lado alguns cristãos insistem em tratar o assunto como tabu. Embora o tema possa trazer desconforto para alguns, a sexualidade humana não pode ser subestimada. Por isso, estudaremos o conceito da sexualidade, o propósito do sexo segundo as Escrituras e o casamento como o parâmetro para o sexo.

Estimado professor, se entregue um pouco mais nesta lição, esteja pronto para responder todas as perguntas sobre sexualidade à luz da palavra de Deus sem tabu.
É através de uma lição como essa que Deus poderá te usar para salvar casamentos, tirar alguém do laço da prática do sexo ilícito, livrar alguém da prática do adultério e da fornicação. Muitas vezes, a pessoa aceita Jesus como Salvador e possui muitas duvidas sobre como deve ser a vida sexual de um Cristão. Nem todos tiveram a oportunidade de nascer em um lar cristão, e adentra a porta da igreja com uma bagagem mui pesada no campo da sexualidade, necessitando de uma bússola que venha trazer uma orientação nesta área. 
Eis a oportunidade !


Planeje sua aula utilizando nosso SLIDE (faça modificações se necessário), a visualização das figuras ajuda o entendimento e a memorização. Isso é comprovado !
Nosso SLIDE é um resumo fiel da nossa revista, Tenha um bom estudo !

Quando Deus formou o primeiro casal,  dotou-o de estrutura físico-emocional e instinto sexual que o capacitam para a reprodução e preservação da espécie humana. O propósito de Deus é que os filhos procedam do casamento e não de outra maneira. A quebra dessa lei resulta em frutos amargos para a família. Deus assim dotou o homem para propósitos específicos, puros e elevados. Portanto, a sexualidade é parte natural e integrante do ser humano. No casamento, a sexualidade exerce papel fundamental e indispensável para o bom relacionamento entre os cônjuges e, como já foi dito, para a perpetuação do gênero humano, circunscrita ao plano de Deus para o matrimônio. Vamos refletir um pouco nesta lição sobre esse importante assunto.
(Pr,Elinaldo Renovato - Revista Lições Bíblicas - 3T 2002 - CPAD)

I – SEXUALIDADE: CONCEITOS E PERSPECTIVAS BÍBLICAS
Sexo e sexualidade possuem conceitos próprios, pois ambos constituem-se atos da criação divina.

1. Conceito de Sexo e Sexualidade. 
A biologia define “sexo” como um conjunto de características orgânicas que diferenciam o macho da fêmea. O sexo de um organismo é definido pelos gametas que produzem. Gametas são células sexuais que permitem a reprodução dos seres vivos. O sexo masculino produz gametas conhecidos como “espermatozoides” e o sexo feminino produz gametas chamados “óvulos”. A expressão “sexo” ainda pode ser usada como referência aos órgãos sexuais ou a prática de atividades sexuais. Já o termo “sexualidade” representa o conjunto de comportamentos, ações e práticas dos seres humanos que estão relacionados com a busca da satisfação do apetite sexual, seja pela necessidade do prazer ou da procriação da espécie.

2. O sexo foi criado por Deus. 
No ato da criação Deus fez o homem e a mulher sexualmente diferentes: “macho e fêmea os criou” (Gn 1.27). Portanto, o sexo faz parte da constituição anatômica e fisiológica dos seres humanos. Homens e mulheres, por exemplo, possuem órgãos sexuais distintos que os diferenciam sexualmente. Sendo criação divina, o sexo não pode ser tratado como algo imoral ou indecente. As Escrituras ensinam que ao término da criação “viu Deus tudo quanto tinha feito, e eis que era muito bom” (Gn 1.31). Desse modo, o sexo não deve ser visto como algo pecaminoso, sujo ou proibido. Tudo o que Deus fez é bom. O pecado não está no sexo, mas na perversão de seu propósito.

O sexo foi feito por Deus.
Deus fez o homem, incluindo o sexo e "viu que tudo era bom" (Gn 1.31). As mãos que fizeram os olhos, o cérebro, também fizeram os órgaõs sexuais. Aquele que criou a mente, criou também o instinto sexual. No princípio, ao ser criado, o sexo era puro e sem pecado. Mas, com a transgressão de Adão no Éden, todas as faculdades do homem foram afetadas pelo pecado, inclusive o sexo.
O que tem arruinado o sexo e o tornado repulsivo por muitos é o seu uso ilícito, antibíblico, antinatural, anticristão, anti-social e subhumano. Demônios podem atual no ser humano na área do sexo (Os 4.12; 5.4).
(Pr.Elinaldo Renovato - Revista Lições Bíblicas - 3T 2002 - CPAD)

3. A sexualidade é criação divina. 
Ao criar o homem e a mulher, Deus também criou a sexualidade: “E Deus os abençoou e Deus lhes disse: Frutificai, e multiplicai-vos, e enchei a terra...” (Gn 1.28). O relacionamento sexual foi uma dádiva divina concedida ao primeiro casal, bem como às gerações futuras: “deixará o varão o seu pai e a sua mãe e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma carne” (Gn 2.24). Sempre fez parte da criação original de Deus a união sexual entre o homem e a sua mulher, formando assim, ambos uma só carne. O livro poético de Cantares exalta a sexualidade e o amor entre o marido e a sua esposa (Ct 4.10-12). Portanto, não é correto “demonizar” o desejo e a satisfação sexual. Assim como o sexo, a sexualidade também não é má e nem pecaminosa. O pecado está na depravação sexual que contraria os princípios estabelecidos nas Escrituras Sagradas.

Sabemos que ao nascer, o ser humano foi dotado, por Deus, de instintos específicos sem os quais sua sobrevivência seria impossível.
Quem ensinou o bebê a sugar o leite materno ? (Instinto de sobrevivência).
Por que as pessoas sentem medo ? (Instinto de preservação da vida).
Por que são agressivas ? (Instinto de defesa de seu território)
O que faz com que elas construam amizades ? (Instinto gregário, o homem vive em grupos).
Neste conjunto está inserido o impulso sexual que caracteriza o instinto de preservação da espécie.
O homem pecador deturpou este impulso, gerando as muitas aberrações que sabemos existir hoje, mas isso não invalida a intenção de Deus de perpetuar a espécie humana através da sexualidade sadia.
(Pr,Elinaldo Renovato - Revista Lições Bíblicas - 3T 2002 - CPAD).

II – O PROPÓSITO DO SEXO SEGUNDO AS ESCRITURAS

1. Multiplicação da espécie humana. 
A finalidade primordial do ato sexual refere-se à procriação. Deus abençoou o primeiro casal e disse-lhes: “Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra” (Gn 1.28). Tal como o Criador ordenara a procriação dos animais (Gn 1.22), também ordenou a reprodução do gênero humano. Neste ato, Deus concedeu ao ser humano os meios para se multiplicar, assegurando-lhe a dádiva da fertilidade. Depois da queda no Éden (Gn 3.11,23), e a consequente corrupção geral (Gn 6.12,13), o Altíssimo enviou o dilúvio como juízo para eliminar o gênero humano (Gn 6.17), exceto Noé e sua família (Gn 7.1). Passado o dilúvio, Noé recebeu a mesma ordem recebida por Adão: “E abençoou Deus a Noé e a seus filhos e disse-lhes: frutificai, e multiplicai-vos, e enchei a terra” (Gn 9.1). A terra, que outrora fora despovoada, agora deveria ser repovoada por Noé a fim de dar continuidade aos desígnios divinos (Gn 3.15, cf. Rm 16.20).

A procriação é o ato criador do Eterno através do homem. Ele dotou o homem de capacidade reprodutiva, instituiu o matrimônio e a família, visando a legitimação desse maravilhoso e sublime processo que a mente dos mortais jamais poderá explicar. "Frutificai e multiplicai-vos", foi a ordem do Criador (Gn 1.27,28).
(Pr,Elinaldo Renovato - Revista Lições Bíblicas - 3T 2002 - CPAD).

2. Satisfação e prazer conjugal. 
Por muito tempo ensinou-se que a procriação era o único propósito da relação sexual. O Concílio de Trento (1545-1563) disciplinou a pratica sexual com fins exclusivos de reprodução e proibiu o sexo aos domingos, nos dias santos e no jejum quaresmal. Não obstante, a Bíblia também se refere ao sexo como algo prazeroso e satisfatório entre o marido e a sua esposa: “Seja bendito o teu manancial, e alegra-te com a mulher da tua mocidade...” (Pv 5.18,19); e ainda: “Goza a vida com a mulher que amas” (Ec 9.9). Assim, na união conjugal, como também ensina o Novo Testamento, o homem e a sua mulher devem buscar a satisfação sexual (1 Co 7.5).

A satisfação amorosa do casal.
Existem seitas ou religiões e, até evangélicos, que proíbem o prazer do sexo alegando que a finalidade deste é somente a procriação. Isso não tem base na Bíblia. Vários textos nos mostram que Deus reconhece o direito de o casal usufruir desse prazer. Em Provérbios 5.18-23, o sábio recomenda aos cônjuges que desfrutem do sexo, sem referir-se, neste caso, ao ato procriativo. Nesta passagem, porém, o homem é advertido quanto à "mulher estranha", a adúltera; e é incentivado a valorizar a união conjugal honesta e santa, exaltando a monogamia, a fidelidade (ver Ec 9.9; Ct 4.1-12; 7.1-9). No Antigo Testamento, a "lua-de-mel" durava um ano! (Dt 24.5). (Pr,Elinaldo Renovato - Revista Lições Bíblicas - 3T 2002 - CPAD).

O Ajustamento do casal
Em 1 Coríntios 7.1-7, vemos uma orientação bíblica muito importante do apóstolo Paulo no que diz respeito à intimidade conjugal. O apóstolo, nesta passagem, considera os seguintes princípios:
PREVENÇÃO (1 Coríntios 7.2)
"Mas, por causa da prostituição, cada um tenha a sua própria mulher e cada uma tenha o seu próprio marido". Com isso, evita-se o adultério e a prostituição.
MÙTUO DEVER (1 Coríntios 7.3)
"O marido pague à mulher a devida benevolência e, da mesma sorte, a mulher ao marido". É o dever do amor conjugal, no que tange ao atendimento das necessidades sexuais, a que tem direito cada cônjuge.
AUTORIDADE MÚTUA (1 Coríntios 7.4)
"A mulher não tem poder sobre seu próprio corpo, mas tem-no o marido; e também, da mesma maneira, o marido não tem poder sobre seu próprio corpo, mas tem-no a mulher". Não se trata aqui, da autoridade por imposição, pela força, mas sim pelo amor conjugal. Diga-se também que o marido não pode abusar da esposa, praticando atos ilícitos, carnais, abusivos e subhumanos, ou vice-versa.
ABSTINÊNCIA CONSENTIDA (1 Coríntios 7.5)
Isto é importante no relacionamento do casal. Os cônjuges podem abster-se, por algum tempo, da prática, sexual, mediante o consentimento mútuo. Não pode haver imposição de um sobre o outro. Caso decidam separar-se no leito conjugal, devem fazê-lo sob as seguintes condições: que haja concordância entre ambos, e que haja sabedoria quanto ao tempo determinado para dedicarem-se à oração e à disciplina da vontade (de ambos).
(Pr,Elinaldo Renovato - Revista Lições Bíblicas - 3T 2002 - CPAD).

3. O correto uso do corpo. 
No ato sexual ocorre a fusão de corpos: “Assim não são mais dois, mas uma só carne” (Mt 19.6). O sexo estabelece um vínculo tão forte entre os corpos que os torna uma só pessoa. Como os nossos corpos são membros de Cristo (1 Co 6.15), e templo do Espírito Santo (1 Co 3.16), as Escrituras proíbem o uso do corpo para práticas sexuais ilícitas (1 Co 6.16). São condenadas, dentre outras, as relações incestuosas (Lv 18.6-18), o coito com animal (Lv 18.23), o adultério (Êx 20.14) e a homossexualidade (Rm 1.26-27). O corpo não pode servir a promiscuidade (1 Co 6.13), mas deve glorificar a Deus, o nosso Pai (1 Co 6.20).


A cada dia que passa, o mundo está distanciando do propósito de Deus.
A sexualidade desenfreada, a tão mencionada nas Escrituras concupiscência da carne, é a grande responsável pelos desvios de conduta que levam o homem e a mulher de hoje a pecarem. 
O sexo não deve ser concebido como algo imoral, feio e vulgar. Também não deve ser concebido como instrumento de prazeres egoísticos e de desventura infligida ao próximo. Deve, antes ser compreendido à luz da Bíblia como algo criado por Deus no ser humano para sua satisfação pessoal e preservação da espécie acompanhadas de vidas santas e virtuosas.
(Pr,Elinaldo Renovato - Revista Lições Bíblicas - 3T 2002 - CPAD)

III – O CASAMENTO COMO LIMITE ÉTICO PARA O SEXO
O casamento é o legítimo limite ético dos impulsos sexuais que podem ser satisfeitos sem que se incorra em atos pecaminosos.

1. Prevenção contra a fornicação. 
A fornicação está relacionada ao contato sexual entre pessoas solteiras, ou seja, não casadas. Para prevenir este pecado, o apóstolo Paulo orienta os cristãos a se casarem: “por causa da prostituição [ou fornicação], cada um tenha a sua própria mulher, e cada uma tenha o seu próprio marido.” (1 Co 7.2). Os ensinos de Paulo ratificam o propósito divino do casamento, ou seja, “um homem para cada mulher” (Gn 2.24). Este princípio também foi defendido por Jesus: “deixará o homem pai e mãe, e se unirá à sua mulher” (Mt 19.5). Deste modo, a legitimidade cristã para a satisfação dos apetites sexuais entre um homem e uma mulher restringe-se ao casamento monogâmico heterossexual (1 Co 7.9). Toda prática sexual realizada fora destes moldes constitui-se em sexo ilícito.

Significado de algumas palavras relacionadas a prática do sexo
Fornicação é a Prática do sexo entre solteiros ou entre casado e solteiro. O fornicário não entra no céu (Ap 21.8; Gl 5.19 e 1Co 6.18).
Adultério é a relação sexual de casados com pessoas que não são seus cônjuges (Mt 5.27; Mc 10.9 e Rm 13.9). É grave e desastroso pecado (Pv 5.1-5).
Prostituição em sentido geral, envolve todas as práticas sexuais pecaminosas. Em sentido estrito, é a intimidade sexual com prostitutas e a infidelidade conjugal. Deus a proíbe com veemência (Dt.23.17); é grave pecado (Co 6.16); é insanidade, loucura, estupidez e torpeza (Pv 7.4-10; 1Co 6.15-18).
Homossexualismo é a prática sexual entre pessoas do mesmo sexo. Contrariando a opinião de muitos, a Bíblia condena, pois é abominação ao Senhor (Lv 20.13; 18.22; Dt 23.17,18), perversão sexual de Sodoma - sodomia (Gn 19.5). Deus destruiu cidades por causa disso (Dt 23.17). Não entram no Reino de Deus os que praticam tais atos (1 Co 6.9,10).
Masturbação é a estimulação manual dos órgãos sexuais que leva ao orgasmo. Há ensinadores que não consideram pecado de forma alguma. Outros dizem que é totalmente errado. Outros, ainda, dizem que, se não for por vício, mas por necessidade, torna-se moralmente justificável. De qualquer forma, é pecado, por contrariar o plano de Deus, pois o sexo não deve ser egoísta, mas partilhado com outra pessoa, no âmbito do casamento. A masturbação está sempre associada a fantasias sexuais.
(Pr,Elinaldo Renovato - Revista Lições Bíblicas - 3T 2002 - CPAD)

2. O casamento e o leito sem mácula. 
As Escrituras ensinam que o casamento é digno de honra (Hb 13.4) e que a união conjugal deve ser respeitada por todos (Mt 19.6). O leito conjugal não pode ser maculado por ninguém. Quem o desonrar não escapará do juízo divino (Hb 13.4b). Aqui a desonra refere-se ao uso do corpo para práticas sexuais ilícitas com ênfase nos casos de relações extraconjugais (1 Co 6.10). Inclui também as relações conjugais resultante de divórcios e de segundo casamentos antibíblicos (Mt 19.9). Embora, muitas vezes, os imorais escapem da reprovação humana, não poderão fugir da ira divina (Na 1.3). A práxis da sociedade e a condescendência de muitas igrejas não invalidam a Palavra de Deus.

CONCLUSÃO
O sexo e a sexualidade são atos da criação divina e não podem ser tratados como algo pecaminoso e nem como mero elemento de procriação ou fonte de prazer. Cabe ao cristão cumprir o propósito estabelecido por Deus para a sexualidade (Gn 2.24). O desvirtuamento desse padrão implicará punição aos que praticam a imoralidade (Hb 13.4). Portanto, vivamos para a glória de Deus!

PARA REFLETIR
A respeito do tema “Ética Cristã e Sexualidade”, responda:

Qual a diferença entre “sexo” e “sexualidade”?
A biologia define “sexo” como um conjunto de características orgânicas que diferenciam o macho da fêmea. Já o termo “sexualidade” representa o conjunto de comportamentos, ações e práticas dos seres humanos que estão relacionados com a busca da satisfação do apetite sexual, seja pela necessidade do prazer ou da procriação da espécie.

Por que o sexo não pode ser tratado como algo imoral ou indecente?
Sendo criação divina, o sexo não pode ser tratado como algo imoral ou indecente.

Qual a finalidade primordial do sexo?
A finalidade primordial do ato sexual refere-se à procriação.

A finalidade do sexo, segundo a Bíblia, é só para procriar?
Não, a satisfação e o prazer conjugal também são finalidades do sexo.

O que é fornicação?
A fornicação é o contato sexual entre pessoas solteiras, ou seja, não casadas.A respeito do tema “Ética Cristã e Doação de Órgãos”, responda:

O que é transplante de órgãos e de tecidos humanos?
O transplante é um procedimento cirúrgico que consiste na remoção de um órgão enferm no subsídio do tópico II.

Segundo a lição, o que significa doar órgãos?
Um ato de amor.

BIBLIOGRAFIA
Bíblia Sagrada - Thompson - Edição Contemporânea - Editora VIDA, 2000
Fonte: CPAD, Revista, Lições Bíblicas Adultos, Valores Cristãos - Enfrentando as questões morais de nosso tempo, Comentarista Pr. Douglas Baptista, 2 Trimestre 2018.

                              AGORA VAMOS A VÍDEO AULA SOBRE ESTA LIÇÃO.  TENHA BOM ESTUDO !                             









                                                                                                                                                                            
[     

Olá, estimado professor, segue abaixo material de apoio que o mesmo possa adicionar mais conteúdo para a sua aula

Video : O que a Bíblia fala sobre o Sexo
Rev. Hernandes Dias Lopes (IPB)
Palestra muito Boa - 18 Minutos







Outras opiniões

As relações sexuais anal e oral são antinaturais e subhumanas, portanto, reprováveis e sujeitas a juízo (Hb 13.4).
(Pr.Elinaldo Renovato - Revista Lições Bíblicas - 3T 2002 - CPAD)

                                                                                                                                                                            

9 comentários:

  1. Gostaria de saber porque não esta mas comentando como antes em vermelho e verde

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Welligton, de acordo com o tema e a necessidade dos comentários, e as vezes o tempo corrido não nos permite, mas vamos trabalhar para melhorar esta questão. Deus abençoe pelo retorno, é bom saber que os irmãos curtem nossos comentários além de baixar os SLiDES !

      Excluir
  2. obrigada por proporcionar àqueles que ministram na EBD um material de alto nível! obg por fazer deste ministério algo tão sério e excelente. tenho certeza que o galardão de vocês está bem reservado !

    em gratidão, Lívia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lívia, Deus abençoe pelo retorno, pelas palavras incentivadoras, nosso Blog é atualizado diariamente conforme vamos estudando o tema no decorrer da semana. A paz do Senhor !

      Excluir
  3. Amém Muito bom A aula excelente... Deus vos abençoe meu professor... Eder Tome.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Joabe, a paz do Senhor, Deus abençoe pelo retorno, contamos com sua visita de sempre aqui no nosso BLOG !

      Excluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Excelente estudo semanalmente!aprecio muito.
    Muito bem recomendado o video do Rev.Hernandes Dias Lopes!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Presbiteriano Rev. Hernandes é uma benção. Gosto muito da Igreja Presbiteriana !

      Excluir