Total de visualizações de página

sábado, 13 de janeiro de 2018

Lição 2 - Uma Salvação Grandiosa

 Aula Presencial dia 14 de janeiro de 2018 


Estimado professor,   acredito que já tenha percebido que nosso SLIDE semanal traz uma abordagem DETALHADA de todos os pontos abordados na lição. É um resumo da lição fazendo uso de uma metodologia moderna de ensino,  tornando-o mais eficiente e efetivo. Aplica-se ao conteúdo da lição, ilustrações com figuras relacionadas com cada tópico a ser ensinado.  Faça bom uso !  Baixe o Slide no formato desejado, Tenha liberdade de alterá-lo, Divulgue e Compartilhe !











OBJETIVOS GERAL
Explicar que a salvação não é algo dado ao crente compulsoriamente, por isso, ele deve ser vigilante e não negligenciar a graça recebida.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
1 - Mostrar a grandiosidade da salvação divina;
2 - Discutir a necessidade da salvação;
3 - Saber que a salvação pela fé em Cristo é eficaz.

  TEXTO ÁUREO 
"Como escaparemos nós, se não atentarmos para uma tão grande salvação, 
a qual, começando a ser anunciada pelo Senhor, foi-nos, depois, 
confirmada pelos que a ouviram." (Hb 2.3)

VERDADE PRÁTICA 
A salvação não é algo dado ao crente compulsoriamente. 
O cristão é exortado a ser vigilante e não negligente em
 relação a essa dádiva recebida.

PONTO CENTRAL 
Precisamos ser vigilantes e não negligenciarmos a salvação divina.

HINOS SUGERIDOS DA HARPA CRISTÃ

35 - O Grande Amor

156 - A Ovelha Perdida
 

542 - Historia de Cristo



Hebreus 2
1 - Portanto, convém-nos atentar, com mais diligência, para as coisas que já temos ouvido, para que, em tempo algum, nos desviemos delas.
2 - Porque, se a palavra falada pelos anjos permaneceu firme, e toda transgressão e desobediência recebeu a justa retribuição,
3 - como escaparemos nós, se não atentarmos para uma tão grande salvação, a qual, começando a ser anunciada pelo Senhor, foi-nos, depois, confirmada pelos que a ouviram;
4 - testificando também Deus com eles, por sinais, e milagres, e várias maravilhas, e dons do Espírito Santo, distribuídos por sua vontade?
5 - Porque não foi aos anjos que sujeitou o mundo futuro, de que falamos;
6 - mas, em certo lugar, testificou alguém, dizendo: Que é o homem, para que dele te lembres? Ou o filho do homem, para que o visites?
7 - Tu o fizeste um pouco menor do que os anjos, de glória e de honra o coroaste e o constituíste sobre as obras de tuas mãos.
8 - Todas as coisas lhe sujeitaste debaixo dos pés. Ora, visto que lhe sujeitou todas as coisas, nada deixou que lhe não esteja sujeito. Mas, agora, ainda não vemos que todas as coisas lhe estejam sujeitas;
9 - vemos, porém, coroado de glória e de honra aquele Jesus que fora feito um pouco menor do que os anjos, por causa da paixão da morte, para que, pela graça de Deus, provasse a morte por todos.
10 - Porque convinha que aquele, para quem são todas as coisas e mediante quem tudo existe, trazendo muitos filhos à glória, consagrasse, pelas aflições, o Príncipe da salvação deles.
11 - Porque, assim o que santifica como os que são santificados, são todos de um; por cuja causa não se envergonha de lhes chamar irmãos,
12 - dizendo: Anunciarei o teu nome a meus irmãos, cantar-te-ei louvores no meio da congregação.
13 - E outra vez: Porei nele a minha confiança. E outra vez: Eis-me aqui a mim e aos filhos que Deus me deu.
14 - E, visto como os filhos participam da carne e do sangue, também ele participou das mesmas coisas, para que, pela morte, aniquilasse o que tinha o império da morte, isto é, o diabo,
15 - e livrasse todos os que, com medo da morte, estavam por toda a vida sujeitos à servidão.
16 - Porque, na verdade, ele não tomou os anjos, mas tomou a descendência de Abraão.
17 - Pelo que convinha que, em tudo, fosse semelhante aos irmãos, para ser misericordioso e fiel sumo sacerdote naquilo que é de Deus, para expiar os pecados do povo.
18 - Porque, naquilo que ele mesmo, sendo tentado, padeceu, pode socorrer aos que são tentados.




Segunda-Feira –  João 10:9 
Jesus deu testemunho de uma tão grande salvação
10 : 9  Eu sou a porta; se alguém entrar por mim, salvar-se-á, e entrará, e sairá, e achará pastagens.

Terça-Feira –  Hebreus 2:3 
A Igreja Primitiva deu testemunho da salvação
2 : 3  Como escaparemos nós, se não atentarmos para uma tão grande salvação, a qual, começando a ser anunciada pelo Senhor, foi-nos depois confirmada pelos que a ouviram;
  
Quarta-Feira –  Hebreus 2:7,9 
A salvação do homem tornou necessária a humanização do Redentor
2 :7  Tu o fizeste um pouco menor do que os anjos,De glória e de honra o coroaste,E o constituíste sobre as obras de tuas mãos;
2 : 9  Vemos, porém, coroado de glória e de honra aquele Jesus que fora feito um pouco menor do que os anjos, por causa da paixão da morte, para que, pela graça de Deus, provasse a morte de todos.

Quinta-Feira –   Hebreus 2:14 
A eficácia da salvação é demonstrada na vitória sobre o Diabo
2 : 14  E, visto como os filhos participam da carne e do sangue, também ele participou das mesmas coisas, para que pela morte aniquilasse o que tinha o império da morte, isto é, o diabo;

Sexta-Feira –  Hebreus 2:15 
A eficácia da salvação é demonstrada no triunfo sobre a morte
2 : 15  E livrasse todos os que, com medo da morte, estavam por toda a vida sujeitos à servidão.

Sábado –  Hebreus 2:18 
A eficácia da salvação é demonstrada na vitória sobre as tentações
2 : 18  Porque naquilo que ele mesmo, sendo tentado, padeceu, pode socorrer aos que são tentados.

                                                   
  
INTRODUÇÃO
O autor dá início à seção de Hebreus 2.1-18 com uma forte exortação. Era necessário, por parte dos crentes maior firmeza em relação às coisas espirituais. O que o autor observava entre eles era certa letargia e negligência diante de um fato de tão grande importância como é a salvação. Nesse aspecto a resposta devia ser dada por meio do retorno às verdades anteriormente ouvidas e que haviam sido esquecidas. Isso era de suma importância porque evitava que algum deles viesse a se desviar. De fato, o vocábulo grego usado pelo autor - pararreo -, traduzido como "desviar", significa originalmente "perder o rumo". O termo era usado também em relação a um barco que acidentalmente era desancorado e lançado à deriva em alto mar. No pensamento do autor só havia uma maneira de manter-se no rumo certo: ancorando o barco no porto seguro, Jesus.

Como já vimos na aula passada, o livro de hebreus foi dirigido a cristãos judeus, antes que estes homens e mulheres se tornassem cristãos eram praticantes do judaísmo, uma religião de primeira classe, "Planejada divinamente, era a melhor religião, e expressava a verdadeira adoração e devoção a Deus. Os mandamentos, os rituais e os profetas descreviam as promessas de Deus e revelavam o caminho para o perdão e a salvação. Mas Cristo veio, cumprindo a Lei e os Profetas, vencendo o pecado, derrubando todas as barreiras no caminho até Deus, e propiciando, gratuitamente a vida eterna. Os judeus tinha dificuldades para aceitar esta mensagem. Embora tivessem buscado o Messias durante séculos, eles se limitavam a pensar e a adorar de forma tradicional" (Bíblia Estudo Cronológica Aplicação pessoal - ARC - Ed. CPAD - pág. 1947)
Para os judeus que aceitaram a mensagem de Jesus não era nada fácil, deveriam abrir mão da religião mais perfeita da face da terra, repudiar a maravilhosa herança do judaísmo, para viver o cristianismo considerado como "heresias" frente a tantas perseguições."A epístola aos Hebreus é um documento primoroso, escrito a judeus que estavam avaliando a Jesus ou lutando com essa nova fé. A mensagem da epístola é que Jesus é melhor, e que o cristianismo é superior. Cristo é supremo e completamente suficiente para a salvação." (Bíblia Estudo Cronológica Aplicação pessoal - ARC - Ed.CPAD - pág. 1948)
Muitos cristãos judeus frente a tantas dificuldades, estavam esquecendo do que já tinham ouvido e vivido no cristianismo, não estavam dando o valor devido a Salvação em Cristo, por conta desta negligência estavam voltando ao judaísmo, retrocedendo... voltando as antigas práticas.... perdendo o rumo... foi onde o autor de Hebreus escreveu "Como escaparemos nós, se não atentarmos para um tão grande salvação, a qual, começando a ser anunciada pelo Senhor, foi-nos, depois, confirmada pelos que a ouviram" (Hb 2:3).
Trazendo para nossos dias, como vamos deixar de Jesus, do evangelho que a nós foi anunciado, da salvação que nos foi dada pela graça de Deus ? como vamos abandonar tudo o que já aprendemos para voltar as práticas imundas de um mundo sem Deus ? como vamos voltar depois de viver na intimidade com Cristo ? Está difícil sermos cristãos verdadeiros nos dias atuais isto é fato, clamamos por um grande avivamento, por uma nova reforma entre nós. Se olharmos para os homens, para os escândalos, para o rumo que as igrejas evangélicas estão tomando vamos nos desviar, vamos nos "desigrejar" (Nova moda entre os cristãos. Por acaso conseguiremos viver em Cristo servindo-o apenas em casa, sem a comunhão com os irmãos ? Isso é uma ilusão, não conseguiremos, vamos nos enfraquecer e esquecer do que anteriormente ouvimos). Reflita com seu aluno esta questão, enfatize que precisamos permanecer firmes em Jesus Cristo nosso Salvador, precisamos ficar na posição em que fomos chamados, não podemos negligenciar nossa tão grande salvação.

I - UMA SALVAÇÃO GRANDIOSA

1. Testemunhada pelo Senhor. 
O autor faz um contraste entre as alianças do Sinai e do Calvário. Enquanto a Antiga Aliança foi intermediada por anjos (v.2), a Nova Aliança tinha Jesus, o Filho de Deus, como seu mediador. O autor, então, faz uma analogia entre as duas Alianças para que o contraste entre ambas fique bem definido. Foi Jesus, o Filho de Deus, e não os anjos, que anunciou essa tão grande salvação. Por serem mediadores da Lei, os anjos despertavam grande estima e respeito dos judeus por eles. Se uma Aliança firmada na Lei, mediada por anjos, imperfeita e transitória, requeria obediência por parte dos crentes, muito mais a Nova Aliança que é perfeita e eterna. Se quem não observava os princípios do Antigo Pacto, quebrando os seus preceitos, era punido de forma dura, que castigo merecia quem ultrajava a Nova Aliança, que em tudo era superior?

Enfatize, que foi o próprio Jesus Cristo que anunciou essa tão grande salvação, não foi os anjos e nem os profetas, "A superioridade que Cristo tem acima de tudo e de todos é claramente demonstrada pelo autor. O cristianismo supera todas as outras religiões, e nunca pode ser superado. Onde podemos encontrar algo ou alguém melhor do que Cristo ? Viver em Cristo é ter o melhor que existe na vida. Todas as outras religiões são mentiras ou imitações baratas".
"A palavra falada pelos anjos" refere-se à lei e ao ensino que os anjos, como mensageiros de Deus, trouxeram a Moisés (veja Gl 3:19). Um dos temas centrais da carta de hebreus é que Cristo é infinitamente maior que todos os outros caminhos sugeridos para se chegar a Deus. O autor estava dizendo que a fé de seus leitores judeus era boa, mas que a fé deveria apontar para Cristo. Assim como Cristo é maior que os anjos, a mensagem de Cristo é mais importante que a mensagem deles. Nenhuma pessoa que age com indiferença em relação à salvação oferecida por Cristo escapará do castigo de Deus.
(Bíblia de Estudo Cronológica Aplicação Pessoal - ARC - CPAD - pág.1948).

2. Proclamada pelos que a ouviram. 
Essa salvação grandiosa foi primeiramente anunciada pelo Senhor e, posteriormente, por "aqueles que a ouviram" (Hb 2.3). Fica evidente nesse texto que o autor não foi uma testemunha ocular dos feitos de Jesus, mas recebera a Palavra por meio dos que a "ouviram". Mesmo não tendo recebido a Palavra de Deus diretamente do Senhor, o autor não tem dúvida que a mensagem apostólica era essencialmente a mesma Palavra de Deus. Esse fato deveria fazer com que os crentes fossem mais diligentes na observância dos preceitos neotestamentários. De fato, a palavra bebaioô, aqui traduzida como "confirmar", tem o sentido de algo que transmite segurança e confiança. Em outras palavras, o que o Senhor anunciou e que, posteriormente, foi proclamado por testemunhas oculares, deve servir de fundamento da nossa fé.

Testemunhas oculares do ministério de Jesus haviam transmitido seus ensinamentos aos leitores deste livro. Estes leitores eram crentes da segunda geração que não haviam visto Cristo em carne. Eles são como nós; nós não vimos Jesus pessoalmente. Baseamos a crença que temos em Jesus nos relatos de testemunhas registrados na Bíblia. Veja João 20:29 para conhecer o encorajamento que Jesus fornece àqueles que creem nele, mesmo sem nunca terem-no visto.
"Disse-lhe Jesus: Porque me viste, Tomé, creste, bem-aventurados os que não vieram e creram" (João 20:29)
(Bíblia de Estudo Cronológica Aplicação Pessoal - ARC - CPAD - pág.1786).

3. Confirmada pelo Espírito Santo. 
A mensagem, que primeiramente fora anunciada pelo Senhor e testemunhada pelos que a ouviram, foi instrumentalizada pelo Espírito Santo. Nesse aspecto, as traduções - "distribuições feitas pelo Espírito Santo" ou "distribuições do Espírito Santo" (Hb 2.4) - expressam bem o que o autor quis dizer. O Espírito Santo é o agente por trás de cada milagre e sinal operados na história do povo de Deus, tanto do passado quanto do presente. O autor quer chamar a atenção de seu público leitor mais uma vez para a importância da mensagem recebida, ou seja, ela fora também testemunhada de uma forma concreta e palpável pelo Espírito Santo por intermédio da distribuição de seus muitos dons.

Enfatize para seus alunos que os "os sinais, milagres, e várias maravilhas e dons do Espírito santo" autenticam o evangelho onde quer que seja pregado. Quando vemos estas manifestações no meio de nós, sabemos que Deus está presente, confirmando a sua palavra de que não nos deixaria orfãos. Os dons distribuidos entre nós deve servir para edificar, exortar, consolar à Igreja, devem ser usados para o benefício da Igreja.

II - UMA SALVAÇÃO NECESSÁRIA

1. Por intermédio da humanização do Redentor. 
Na seção vv.5-9, o autor toma o Salmo 8 como pano de fundo de seu argumento (Sl 8.4-6). Nesse aspecto, ele segue a Septuaginta que usa o termo "anjo", em vez do texto massorético, que traz a palavra "Deus". Na mentalidade judaica, da qual o autor participa, o homem foi feito como coroa da criação e a ele foi confiado todo o domínio. Todavia, devido à queda, esse domínio fora perdido. Na mente do autor dessa Escritura, portanto, o Salmo 8 não pode se aplicar a Adão, nem tampouco a raça pós-queda, mas a Jesus, o Messias, que por meio da cruz, veio restaurar a humanidade caída.

2. Por meio do sofrimento do Redentor. 
Para um judeu do primeiro século era escandalosa a ideia de um Messias sofredor. Como então assegurar que Jesus era superior aos anjos se Ele morrera em uma cruz? O autor de Hebreus usa o versículo cinco do Salmo 8 para explicar esse aparente paradoxo. Sim, argumenta ele, Jesus de fato foi feito um "pouco" menor do que os anjos por causa da sua humanização. Os intérpretes entendem que as palavras "pouco" e "pouco tempo" (Hb 2.7,9) podem denotar posição ou tempo. Em outras palavras, Jesus se tornou "menor" que os anjos enquanto vivia os limites da condição humana e experimentou o sofrimento advindo desse estado de humilhação. Todavia, foi por meio deste mesmo sofrimento de Cristo que os homens tornaram-se livres.

3. Por intermédio da glorificação do Redentor. 
Na mente do autor, Cristo não sofreu para ser glorificado, mas Ele foi glorificado porque sofreu. Foi por intermédio do sofrimento que Ele foi "coroado de glória e de honra, [...] para que, pela graça de Deus, provasse a morte por todos" (Hb 2.9). Para os crentes que viam no sofrimento algo incompatível com o viver cristão, e que, devido a isso estavam desanimados, essas palavras serviam de ânimo e consolo.

A graça de Deus por nós conduziu Cristo à sua morte. Jesus não veio ao mundo para ganhar status ou poder político, mas para sofrer e morrer para que pudéssemos ter a vida eterna ("trazendo muitos filhos à glória"). Se tivermos alguma dificuldade para nos identificar com a atitude de servo que Cristo demonstrou, talvez precisemos avaliar nossos próprios motivos. Estamos mais interessados no poder ou na participação, na dominação ou no serviço, em receber ou em ofertar?
(Bíblia de Estudo Cronológica Aplicação Pessoal - ARC - CPAD - pág.1786).

Infelizmente muitos lideres perderam o foco, estão correndo atrás de fama, reconhecimento, poder político, dinheiro ... muitos tem negociado os irmãos, vendendo igrejas como se estivesse passando o ponto de uma loja de conveniência (vendo igreja com 5 mil lugares, faturamento R$ 1.200.000,00 em dizímos, tantos dizimistas, tantos membros, tantos obreiros, igreja com estacionamento e perto do metrô, ótima localização, etc e tal), gostaria que isso não fosse verdade, mas esta acontecendo descaradamente para todo mundo ver (e o pior de tudo, tem quem compre). Tanto o que vende como o que compra estão no mesmo patamar, tratando o povo de Deus como um negócio. (Não vou dar os nomes de pastores aqui por ética)
"E por avareza farão de vós negócio com palavras fingidas; sobre os quais já de largo tempo não será tardia a sentença, e a sua perdição não dormita" (2Pe 2:3)
Pedro fornece três sinais de alerta que nos ajudam a identificar os falsos ensinadores:
(1) Imoralidade. A vida destes ensinadores contém ou tolera práticas imorais? O grupo que ouve estes falsos ensinadores pratica relações sexuais imorais ?
(2) Ganância. Os ministros têm direito ao apoio financeiro (1Co 9:1-14; Gl 6:6; 1Tm 5:17-18), mas o dinheiro é a motivação principal deste ensinador ou deste grupo ?
Antes de doar dinheiro para qualquer causa, examine-a cuidadosamente. O ensinador ou pregador serve a Deus claramente ou simplesmente promove ou seus próprios interesses pessoais? A pessoa ou organização usará o dinheiro para promover um ministério válido ou apenas financiará outras promoções ou estilos de vida extravagantes ? 
(3) Mentiras. O líder fica ofendido quando você faz perguntas sobre as bases bíblicas por trás das declarações feitas por ele ? Os fatos se mostram falsos quando o líder é questionado sobre as evidências ? 
Os crentes de hoje fazem bem em dar ouvidos às advertências de Pedro contra os falsos mestres; o perigo é real.
(Bíblia de Estudo Cronológica Aplicação Pessoal - ARC - CPAD - pág.1786).

Tempos atrás assisti na TV um Pastor Assembleiano (não vinculado a CGADB, ainda bem, né?) pedindo para os irmãos que não tem casa própria e pagam aluguel, dar o dinheiro de um mês de aluguel na sua igreja com a promessa de que em um ano o mesmo compraria sua casa própria. Isso é brincar com a fé do povo ! Este dito cujo vive uma vida em uma mansão, viaja em avião particular, vive uma vida em abundância e confortável, compra e come tudo o que tem vontade e ... e... ainda quer tirar o dinheiro do nosso irmão simples que não tem sua casa própria. Qual é o foco deste pastor ? O Reino de Deus ? O camarada faz aliança com tudo o que é politico sujo e ainda quer ser a voz dos evangélicos no Brasil. Misericórdia !

Estamos vivendo dias de PERIGO REAL, lideres envolvidos com políticos sujos, dinheiro da operação lava-jato na conta da Igreja, lideres com conta no exterior recebendo dinheiro da JBS (grupo envolvido na operação lava-jato), líder fazendo aliança com seitas (caso de um líder que participou de casamento religioso na seita do rev. Moon) e trouxe pessoas desta seita para pregar na AD, você quer que aconteça mais o que ? Imagine você em um culto, de repente o pastor anuncia irmãos hoje quem vai trazer a palavra é o ministro da Igreja da Unificação ou então Imagine você sentado no sofá assistindo o Jornal Nacional e vendo o nome do seu líder sendo investigado por receber dinheiro sujo na conta da igreja e US$ 1 milhão de dolares na conta pessoal no exterior. JESUS ESTÁ VOLTANDO, isso é cumprimento da palavra de Deus.

III - UMA SALVAÇÃO EFICAZ

1. Vitória sobre o Diabo. 
Na conclusão de seu argumento o autor mostra os métodos e os resultados dessa grandiosa salvação. Para que a salvação se efetivasse o Salvador precisava sofrer e morrer pelos homens. Somente por meio da morte na cruz, o Diabo, arqui-inimigo dos homens, seria derrotado (Hb 2.14). O autor usa o verbo grego catargeo para se referir à derrota de Satanás. Esse verbo tem o sentido de "destronar" ou "tornar inoperante". Por intermédio da cruz, Cristo destronou e desarmou Satanás das armas que este possuía. Foi na cruz que Ele despojou os principados e as potestades e nos garantiu a vitória (Cl 2.15).

Jesus tinha que se tornar humano para que pudesse morrer e ressuscitar a fim de destruir o poder que o diabo tinha sobre a morte (Rm 6:5-11). 
(Bíblia de Estudo Cronológica Aplicação Pessoal - ARC - CPAD - pág.1787).

2. Vitória sobre a morte. 
Com a entrada do pecado no mundo a morte passou a ser um inimigo temido. Essa arma poderosa era usada por Satanás para manter os homens debaixo do jugo do medo (Hb 2.15). Todavia, ao morrer na cruz por todos os homens, Jesus venceu a morte. Os homens continuam a morrer, mas os que o recebem como Salvador tem a vida eterna, pois a morte não tem mais domínio sobre eles.

Só então Cristo poderia libertar aqueles que viviam em constante medo da morte e torná-lo livres para viverem por Ele. pelo fato de pertencermos a Deus, não precisamos temer a morte porque sabemos que a morte é apenas a porta de entrada para a vida eterna (1Co 15)
(Bíblia de Estudo Cronológica Aplicação Pessoal - ARC - CPAD - pág.1787).

3. Vitória sobre a tentação. 
Pela primeira vez na epístola o autor usa a denominação "sumo sacerdote" em relação a Jesus (Hb 2.17). O tema do sacerdócio de Cristo será explorado pelo autor com maior profundidade em passagens posteriores (Hb 3.14.14-165.1-106.207.14-19,26-288.1-69.11-2810.1-39). Todavia, aqui o seu uso é justificado no contexto da identificação de Jesus com seus "irmãos", os salvos. Esse sumo sacerdote é misericordioso e fiel. Por ter assumido a natureza humana, e se identificado com os homens nos seus limites, Ele sabe o que é ser tentado e por essa razão está pronto a ajudá-los.

No Antigo Testamento, o sumo sacerdote era o mediador entre Deus e o povo. Seu trabalho era oferecer regularmente sacrifícios de animais de acordo com a lei e interceder a Deus pelo perdão dos pecados do povo. Agora, Jesus Cristo é o nosso Sumo Sacerdote. Ele veio à terra como um ser humano; portanto, Ele entende nossas fraquezas e se compadece de nós. Ele pagou a pena por nossos pecados, de uma vez por todas, através de sua morte sacrificial (expiação), e pode restaurar nosso relacionamento rompido com Deus. Somos libertos da dominação do pecado quando nos comprometemos totalmente a Cristo, confiando completamente naquilo que Ele fez por nós.
(Bíblia de Estudo Cronológica Aplicação Pessoal - ARC - CPAD - pág.1789).

Cristo é superior aos sacerdotes, e seu sacerdócio é superior aos sacerdócio dos antigos sacerdotes. Para os judeus, o sumo sacerdote era a mais alta autoridade religiosa na terra. O sumo sacerdote entrava sozinho no lugar Santíssimo do Templo, uma vez por ano, para fazer expiação pelos pecados de toda a nação (Lv 16). Como o sumo sacerdote, Jesus faz a mediação entre Deus e nós. Como representante da humanidade, Ele intercede por nós diante de Deus. Como representante de Deus, Ele nos assegura o perdão de Deus. Jesus tem mais autoridade do que os sumo sacerdotes judeus, porque Ele é verdadeiramente Deus e verdadeiramente homem. Ao contrário dos sumo sacerdotes, que poderiam se apresentar diante de Deus somente uma vez por ano, Cristo está sempre à mão direita de Deus, intercedendo por nós. Ele está sempre disponível para nos ouvir quando oramos.
(Bíblia de Estudo Cronológica Aplicação Pessoal - ARC - CPAD - pág.1790).

CONCLUSÃO
Por meio da sua humanização e humilhação Jesus se tornou o legítimo Sumo Sacerdote representante da humanidade. Os anjos de fato são seres especiais a serviço de Deus, entretanto, Jesus não veio socorrê-los, mas buscar a descendência de Abraão, os crentes. Por intermédio de seu sofrimento e morte, Ele pode dar vida aos que estão mortos. 

PARA REFLETIR
A respeito de Uma Salvação Grandiosa, responda:

·    Segundo o autor aos Hebreus, qual a única maneira de manter-se no rumo certo?
No pensamento do autor só havia uma maneira de manter-se no rumo certo: ancorando o barco no porto seguro, Jesus.

·    Enquanto a Antiga Aliança foi intermediada por anjos, a Nova Aliança foi mediada por quem?
Enquanto a Antiga Aliança foi intermediada por anjos, a Nova Aliança tinha Jesus, o Filho de Deus, como seu mediador.

·    Como os homens tornaram-se livres?
Por meio do sofrimento de Cristo.

·    O que foi preciso ser feito para que a salvação se efetivasse?
Para que a salvação se efetivasse o Salvador precisava sofrer e morrer pelos homens.

Por que Jesus Cristo, o verdadeiro Sumo Sacerdote, sabe o que é ser tentado e, por isso, está pronto a nos ajudar nas fraquezas?
Por ter assumido a natureza humana, e se identificado com os homens nos seus limites, Ele sabe o que é ser tentado e por essa razão está pronto a ajudá-los.

BIBLIOGRAFIA
Bíblia Sagrada - Thompson - Edição Contemporânea - Editora VIDA, 2000
Fonte: CPAD, Revista, Lições Bíblicas Adultos, A Supremacia de Cristo - Fé, esperança e ânimo na Carta aos Hebreus, Comentarista Pr. José Gonçalves, 1 Trimestre 2018.

                              AGORA VAMOS A VÍDEO AULA SOBRE ESTA LIÇÂO.  TENHA BOM ESTUDO !                             
Antes de Assistir os vídeos, se a radio do site estiver tocando, suba a página até a radio e 
toque no vídeo da musica que estiver tocando para interromper o som.








                                                                                                                                                                            
[     

Olá, estimado professor, segue abaixo material de apoio que o mesmo possa adicionar mais conteúdo para a sua aula.

Na revista da Editora Betel deste Trimestre o tema é o livro de Levítico, se os irmãos tiverem tempo estudem este tema em paralelo, o Livro de Levítico e Hebreus se completam entre si. abaixo um link para baixar gratuitamente um livro que faz este estudo em conjunto, muito bom, vamos lá ?

Clique Aqui - Livro Estudando o Livro de Levítico e a Epístola aos Hebreus

                                                                                                                                                                            

INTERAGINDO COM O PROFESSOR
Prezado(a) professor(a), estudaremos a exortação do escritor de Hebreus a respeito da grandiosidade da salvação. Salvação essa que recebemos mediante a fé em Jesus Cristo. Ela é resultado da graça divina, mas Cristo pagou um alto preço. Por isso, no capítulo dois, o autor aos Hebreus faz uma séria advertência a respeito dos que negligenciam tão grande salvação. Para redimir a humanidade pecadora, Cristo assumiu a forma humana a fim de se identificar conosco e nos outorgar a salvação. Ele morreu por nós, mas ao terceiro dia ressuscitou coroado de glória e honra. Cristo também nos elevou a uma condição superior, a de filhos(as) de Deus. Jesus é superior aos anjos e a todas as coisas, e a salvação que Ele oferece é o maior bem que o ser humano pode obter, por isso não devemos negligenciar tal graça.

SUBSÍDIO TEOLÓGICO
Hebreus 2.1-4
"Esta é a primeira de sete passagens em Hebreus onde o autor combina uma urgente exortação com uma solene advertência a fim de mover seus leitores a uma confiança renovada, a uma esperança e fé perseverante em Cristo. Estas sete advertências não são divagações, no entanto se relacionam diretamente com o principal propósito do autor. A íntima conexão entre este parágrafo e a interpretação em 1.5-14 demonstra que a exposição bíblica do autor não era propriamente um fim, mas originou-se de sua preocupação por seus leitores e sua perigosa situação.
O rico vocabulário e os dons do autor como orador são novamente evidentes. A construção grega de 2.1-4 consiste em duas sentenças: uma declaração direta (2.1), seguida por uma longa sentença explicativa (2.2-4), que inclui uma pergunta retórica ('como escaparemos nós?') com uma condição ('se atentarmos para [ou negligenciarmos] uma tão grande salvação', 2.3a).
A expressão "Portanto" (2.1) liga este parágrafo ao esplendor e à incomparável supremacia do Filho no capítulo 1. Pelo fato de o Filho ser superior aos profetas e aos anjos, se o que Deus 'nos falou pelo Filho' (1.2) for negligenciado, seremos muito mais culpáveis: 'Portanto, convém-nos atentar, com mais diligência, para as coisas que já temos ouvido, para que, em tempo algum, nos desviemos delas" (ARRINGTON, French L.; STRONSTAD, Roger (Ed.). COMENTÁRIO Bíblico Pentecostal Novo Testamento. 2.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2004, p.1549).

SUBSÍDIO TEOLÓGICO
"Jesus, superior aos anjos em sua missão redentora (Hb 2.5-18)
Esta seção dá continuidade ao pensamento iniciado em 1.5-14 a respeito da superioridade do Filho em relação aos anjos, porém sob uma perspectiva diferente. No capítulo 1 a ênfase estava na divindade da natureza do Filho; aqui o enfoque está em sua humanidade e no sofrimento como componentes necessários de sua missão redentora. Os anjos, por um lado, são servos; sua missão para o homem como 'espíritos ministradores' é 'servir a favor daqueles que hão de herdar a salvação' (1.14). O Filho, por outro lado, é o Salvador; sua missão para o homem como 'o Príncipe da salvação deles' (2.10) é 'salvar perfeitamente os que por ele se chegam a Deus' (7.25). Entretanto, como Salvador, a missão redentora do Filho envolvia tanto a humilhação como a glória.
Como o homem perfeito, Jesus se tornou o verdadeiro representante da raça humana e o cumprimento absoluto do Salmos 8. Somente Ele poderia cumprir 'o propósito declarado do Criador quando trouxe a raça humana à existência. Mas, assim fazendo, Ele teve de se identificar plenamente com a  condição humana, incluindo o sofrimento humano (cf. Hb 4.15,165.6), a fim de 'abrir o caminho da salvação para a humanidade e agir eficazmente como o Sumo Sacerdote de seu povo na presença de Deus. Isto significa que Ele não é apenas aquEle em quem se cumpre a soberania destinada à humanidade, mas também aquEle que, por causa do pecado humano, deve concretizar esta soberania por meio do sofrimento e da morte. Portanto, o Filho, que já foi apresentado como superior aos anjos, teve de ser feito 'um pouco menor do que os anjos' (2.7a) antes de poder ser 'coroado de glória e de honra' (2.7b) como Senhor sobre todas as coisas" (ARRINGTON, French L.; STRONSTAD, Roger (Ed.). COMENTÁRIO Bíblico Pentecostal Novo Testamento. 2.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2004, pp. 1551,52).

CONHEÇA MAIS
*Salvação
"1. Sõteria (σωτηρία) denota 'libertação, preservação, salvação'. O termo 'salvação' é usado no Novo Testamento para se referir a: (a) o livramento material e temporal de perigo e apreensão: (1) nacional (Lc 1.69,71At 7.25, 'liberdade'); (2) pessoal, como do mar (At 27.34, 'saúde'); da prisão (Fp 1.19); do dilúvio (Hb 11.7); (b) o livramento espiritual e eterno concedido imediatamente por Deus aos que aceitam as condições estabelecidas por Ele referentes ao arrependimento e fé no Senhor Jesus, somente em quem será obtido (At 4.12), e sob confissão dEle como Senhor (Rm 10.10); para este propósito o Evangelho é o instrumento de salvação (Rm 1.16Ef 1.13 [...])". Para conhecer mais leia "Dicionário Vine", CPAD, p.967.

SUBSÍDIO TEOLÓGICO
“[...] Pela graça de Deus, Jesus provou a morte por todos os homens (Hb 2.9). Três verdades importantes estão sucintamente incorporadas aqui:
1. A morte de Jesus na cruz, para realizar a salvação, foi um ato da graça de Deus.
2. Sua morte foi em favor de (byper) cada pecador; um claro ensino de Hebreus é que sua morte foi uma expiação substitutiva pelo nosso pecado (cf. 5.17.27).
Sua morte não foi uma ‘expiação limitada’ — isto é, para algumas pessoas seletas, como alguns reivindicam — mas Ele provou temporariamente a morte por todos os homens. Sua morte é de proveito para todo aquele que por fé se submete a Ele como Senhor e Cristo.
Para os judeus daqueles dias, ‘a ideia de um Messias em sofrimento era detestável e a reivindicação cristã de que isto convinha, deveria ser vista contra este panorama. Qualquer que seja a razão para a cruz, não há dúvida alguma de que tais fatos revelam a natureza de Deus. É neste sentido que ‘convinha’ que as coisas ocorressem como de fato ocorreram” (ARRINGTON, French L.; STRONSTAD, Roger (Ed.). Comentário Bíblico Pentecostal Novo Testamento. 2.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2004, p. 1553).

                                                                                                                                                                            

4 comentários:

  1. top essas ajudas e os slides tambem gosto muito

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amém irmão Raimundo, logo mais vou acrescentar mais alguns subsídios e material de apoio desta lição, Deus abençoe pelo retorno, é importante para nós !

      Excluir
  2. Paz de Cristo, muito bom, dou aula usando esses Slides bem detalhados, maravilha de DEUS.
    Obrigado.

    ResponderExcluir
  3. A paz de Cristo irmão Salomão, a ideia de fazer o slide detalhado veio de uma dificuldade que tinha nas aulas presenciais, onde o aluno acompanhava pelo slide e por vezes tinha que também recorrer a revista. A nossa ideia é que o aluno estude a revista em casa e na aula presencial todo o foco esteja no slide e na didática do professor acrescentando sua fala em cada pagina rolada. Deus abençoe pela visita ao Blog, ajude-nos a crescer ! Forte abraço !

    ResponderExcluir