Total de visualizações de página

segunda-feira, 17 de abril de 2017

Lição 4 - Isaque, um Caráter Pacífico

Aula Presencial dia 23 de Abril de 2017

Estimados professores,   acredito que já tenha percebido que nosso slide semanal  
traz uma abordagem completa de todos os pontos abordados na lição. É um resumo da lição fazendo uso de uma metodologia moderna de ensino,  tornando-o mais eficiente e efetivo. Aplica-se a todo o conteúdo da lição, ilustrações com figuras relacionadas com cada tópico a ser ensinado.  Faça bom uso !  Divulgue e Compartilhe.



OBJETIVOS GERAL
Mostrar que o temperamento de Isaque era pacífico.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
1 - Explicar porque Isaque era o filho da promessa;
2 - Mostrar que Isaque era um homem abençoado por Deus;
3 - Refletir a respeito de algumas lições do caráter de Isaque.
TEXTO ÁUREO
“E disse Deus: Na verdade, Sara, tua mulher, te dará um filho, e 
chamarás o seu nome Isaque; e com ele estabelecerei o meu 
concerto, por concerto perpétuo para a sua semente depois dele.” (Gn 17.19)

VERDADE PRÁTICA
Isaque, segundo filho de Abraão, deixou um exemplo 
de humildade e submissão a Deus e a seus pais.

PONTO CENTRAL
Isaque, nos deixou um exemplo 
de humildade e submissão a Deus e a seus pais.

HINOS SUGERIDOS DA HARPA CRISTÃ

151 - Fala Jesus Querido

225 - Sê Valente!

432 - Consagrado a oSenhor



 Gênesis 26:12-25 
12 - E semeou Isaque naquela mesma terra e colheu, naquele mesmo ano, cem medidas, porque o SENHOR o abençoava.
13 - E engrandeceu-se o varão e ia-se engrandecendo, até que se tornou mui grande;
14 - e tinha possessão de ovelhas, e possessão de vacas, e muita gente de serviço, de maneira que os filisteus o invejavam.
15 - E todos os poços que os servos de seu pai tinham cavado nos dias de Abraão, seu pai, os filisteus entulharam e encheram de terra.
16 - Disse também Abimeleque a Isaque: Aparta-te de nós, porque muito mais poderoso te tens feito do que nós.
17 - Então, Isaque foi-se dali, e fez o seu assento no vale de Gerar, e habitou lá.
18 - E tornou Isaque, e cavou os poços de água que cavaram nos dias de Abraão, seu pai, e que os filisteus taparam depois da morte de Abraão, e chamou-os pelos nomes que os chamara seu pai.
19 - Cavaram, pois, os servos de Isaque naquele vale e acharam ali um poço de águas vivas.
20 - E os pastores de Gerar porfiaram com os pastores de Isaque, dizendo: Esta água é nossa. Por isso, chamou o nome daquele poço Eseque, porque contenderam com ele.
21 - Então, cavaram outro poço e também porfiaram sobre ele. Por isso, chamou o seu nome Sitna.
22 - E partiu dali e cavou outro poço; e não porfiaram sobre ele. Por isso, chamou o seu nome Reobote e disse: Porque agora nos alargou o SENHOR, e crescemos nesta terra.
23 - Depois, subiu dali a Berseba,
24 - e apareceu-lhe o SENHOR naquela mesma noite e disse: Eu sou o Deus de Abraão, teu pai. Não temas, porque eu sou contigo, e abençoar-te-ei, e multiplicarei a tua semente por amor de Abraão, meu servo.
25 - Então, edificou ali um altar, e invocou o nome do SENHOR, e armou ali a sua tenda; e os servos de Isaque cavaram ali um poço.



Segunda-Feira –  Gênesis 17:19 
 Um nome dado por Deus
17 : 19Deus lhe respondeu: Na verdade, Sara, tua mulher te dará um filho, e lhe porás o nome de Isaque; com ele estabelecerei a minha aliança, aliança perpetúa para sua descendência depois dele.

Terça-Feira –  Lucas 1:37 
 Para Deus nada é impossível
1 : 37  Pois para Deus nada é impossível.
  
Quarta-Feira –  Romanos 4:18 
Abraão creu contra a esperança
4 : 18O qual, em esperança, creu contra a esperança que seria feito pai de muitas nações, conforme o que fora dito: Assim será a tua descendência.

Quinta-Feira –   Hebreus 11:8 
Pela fé, Abraão, sendo chamado obedeceu a Deus
11 : 8  Pela fé Abraão, sendo chamado para um lugar que havia de receber por herança, obedeceu e saiu, sem saber para onde ia.

Sexta-Feira –  Romanos 4:19 
A fé não olha para as circunstâncias
4 : 19E não enfraqueceu na fé, nem atentou para o seu próprio corpo amortecido, pois era já de quase cem anos, nem tampouco para o amortecimento do ventre de Sara.

Sábado –  Hebreus 11:11 
Sara, uma mulher de fé
11 : 11Pela fé, também, a própria Sara recebeu poder de conceber um filho, mesmo fora da idade, porque teve por fiel aquele que lhe havia feito a promessa.
                                                   
                                                   
TENHA UM BOM ESTUDO !

INTRODUÇÃO
O caráter de uma pessoa é demonstrado por suas atitudes, testemunho e práticas. Isaque é um personagem da Bíblia que tem grande significado para a história do povo de Israel. Seu nome foi dado por Deus mesmo antes do seu nascimento conforme Gênesis 17.19. O significado de seu nome é interessante: quer dizer "aquele que ri" ou "ele ri", em alusão à reação de seu pai e de sua mãe, quando o anjo anunciou seu nascimento, sendo seus pais de idade avançadíssima.

No decorrer deste estudo, será perceptível que Isaque tinha um caráter admirável: Era submisso, paciente, pacificador, cheio de fé, gostava de orar e meditar, conhecia e ouvia a voz de Deus. Nesta lição iremos falar um pouco sobre o caráter deste grande homem de Deus.

I - ISAQUE, O FILHO DA PROMESSA

1. Promessa de Deus a Abrão.  Para entender o caráter de Isaque, é importante conhecer a história que moldou sua personalidade e forjou o seu caráter. A história de Isaque ocupa nada menos que nove capítulos do livro de Gênesis. Filho de Abraão e Sara, pela lógica humana seu nascimento seria absolutamente impossível. O "filho da promessa" teria nascido "fora de tempo", na concepção dos homens. Quando Deus chamou Abrão para sair de sua terra e ir para uma terra estranha, fez-lhe promessas gloriosas. Uma delas era que ele seria "uma grande nação", quando ele tinha 75 anos (Gn 12.2). Abraão já era idoso, e sua esposa estéril. Parecia impossível o casal ter um filho. Quanto mais serem pais de uma grande nação.

Estimado professor, na Bíblia identificamos oito pactos:
1) O pacto Edêmico (Gênesis 1:26-28)
2) O pacto Adâmico (Gênesis 3:14-19)
3) O pacto Noético  (Gênesis 9:1)
4) O pacto Abraâmico (Gênesis 12:1,2)
5) O pacto Mosaico (Êxodo 19:25, 20:1-17)
6) O pacto Palestino (Deuteronômio 28 a 30)
7) O pacto Davídico (2 Samuel 7:8-19)
8) O pacto da Graça (Jeremias 31:31-34; Mateus 26:28; Hebreus 8)

A Igreja vive atualmente debaixo da bênção outorgada pela aliança (ou pacto da Graça) que Deus selou com ela pelo sangue de Jesus. O filho de Deus mesmo declarou: Este é o cálice da nova aliança no meu sangue (Lc 22:20). É incalculável a soma de privilégios que a igreja do Senhor Jesus desfruta na terra por causa do Mediador de tão sublime aliança: E a Jesus, o Mediador de uma nova aliança, e ao sangue da aspersão, que fala melhor do que o de Abel (Hb 12:24).
(Lições da Palavra de Deus, Editora Central Gospel ano 7 número 29, Pr.Geziel Gomes, pág.42)

Quando relembramos o pacto Abraâmico, vemos que Deus fez sete promessas para Abraão:
1) Far-te-ei uma grande nação (Gênesis 12:2)
2) Abençoar-te-ei (Gênesis 12:2)
3) Engrandecerei o teu nome (Gênesis 12:2)
4) Tu serás uma bênção (Gênesis 12:2)
5) Abençoarei os que te abençoarem (Gênesis 12:3)
6) Amaldiçoarei o que te te amaldiçoarem (Gênesis 12:3)
7) Em ti serão benditas todas as famílias da terra (Gênesis 12:3)

Quando tudo parecia que não ia mais acontecer, Deus fez o milagre e a primeira promessa (Far-te-ei uma grande nação) começou a ser cumprida através do nascimento de Isaque.

Um dos mais extraordinários textos de toda a Bíblia é o que apresenta, pela primeira vez, a aliança de Deus com Abraão. Trata-se de uma aliança divina, absoluta e atemporal (Gn 12:1-5). Essa Aliança foi feita entre Deus e Abrão (antes de o nome deste ser mudado para Abraão), incluindo seus descendentes, de todas as gerações.
(Lições da Palavra de Deus, Editora Central Gospel ano 7 número 29, Pr.Geziel Gomes, pág.41)

2. Seu nascimento, um verdadeiro milagre. Ao ouvir que Sara seria "mãe de nações", Abraão riu considerando coisa impossível para um homem de 100 anos e uma mulher de 90 (Gn 17.17). Percebendo Deus o pensamento de Abraão lhe fez saber que Ele é Fiel (Gn 17.19). Por ter rido, o nome do menino seria Isaque, que significa "riso" ou "aquele que ri". Sua mãe, ao saber que teria um filho aos 90 anos (Gn 18.9,10), também não se conteve e, a exemplo do marido, também se riu no seu interior (Gn 18.12). Abraão aos 100 anos, e Sara com 90, foram pais de um lindo bebê, que causou espanto a todos que souberam daquele milagre.

O nascimento do filho da promessa aconteceu quando Abraão estava com 100 anos (Gênesis 21:5). O nome de Isaque foi dado pessoalmente por Deus e significa riso (Gênesis 17:19). Mesmo que o Senhor tenha afirmado que Ismael se tornaria uma grande nação (Gênesis 21:13; 21:18), pois ele também era filho de Abraão com a serva Agar, a promessa de Deus (Gênesis 13:16) era relacionada ao filho que ele teria com a sua esposa, Sara.
(Lições da Palavra de Deus, Editora Central Gospel ano 7 número 29, Pr.Geziel Gomes, pág.36)

E disse Sara: Deus me tem feito riso; e todo aquele que o ouvir se rirá comigo. Dentre os significados dos vários nomes na Bíblia, poucos são tão maravilhosos quanto o de Isaque. As palavras de Sara indicam que o riso dela e de outras pessoas estaria relacionado ao nascimento desse filho prometido.
(O Novo Comentário Bíblico - AT, Editora Central Gospel, 2010, p.59)

II - UM HOMEM ABENÇOADO POR DEUS

1. A prosperidade espiritual. Depois da morte de seu pai, já casado com Rebeca, e pai de Esaú e Jacó (Gn 25.19-23), Isaque foi buscar abrigo em Gerar, na terra dos filisteus, para escapar da fome que ocorreu onde morava. Ali, Deus lhe falou que não descesse ao Egito. "[...] em tua semente serão benditas todas as nações da terra,  porquanto Abraão obedeceu à minha voz e guardou o meu mandado, os meus preceitos, os meus estatutos e as minhas leis. Assim, habitou Isaque em Gerar" (Gn 26.4-6).

Vale observar aqui neste ponto que os três patriarcas da Bíblia (Abraão, Isaque e Jacó)  tiveram esposas estéreis. A promessa de Deus quanto a gerar um filho era para Abraão e Sara, todavia, vemos que Sara tentou "ajudar" Deus e deu Agar para gerar filhos por ela, Abraão teve então Ismael com Agar e só então mais tarde, Abraão teve Isaque com Sara, resultado de um milagre na vida deste casal.
O resultado desta precipitação só poderia resultar em efeitos danosos:
Até hoje, o mundo experimenta as consequências do erro de Abraão, por meio da luta entre judeus (descendentes de Isaque) e árabes (descendentes de Ismael). Quando aprendemos a aguardar o momento de Deus, nós nos preparamos para bençãos completas.
As experiências anteriores de Isaque o amadureceram para a vida. EMBORA SUA ESPOSA, REBECA, FOSSE ESTÉRIL, TAL COMO A MÃE DELE HAVIA SIDO, Isaque evitou seguir o exemplo de seu pai e decidiu orar ao Senhor, em vez de precipitar-se tomando atitudes erradas. O texto é agradável, solene e precioso: E Isaque orou instantemente ao Senhor por sua mulher, porquanto era estéril; e o Senhor ouviu as suas orações, e Rebeca, sua mulher, concebeu (Gn 25:21).
Foram 25 anos de oração perseverante, até que o momento do milagre chegou. Para alguns, perseverar em oração é muito difícil e desafiador.
(Lições da Palavra de Deus, Editora Central Gospel ano 7 número 29, Pr.Geziel Gomes, pág.40-41).

Estimado professor: Deus pediu para Isaque não descer para o Egito, bem sabemos que quando descemos para o 'Egito" corremos o risco de embaraçarmos com ele. Enfatize aos alunos que o Egito representa o mundo e suas concupiscências. Muitos cristãos correm sérios riscos ao deixar por um momento o caminho de Cristo para se enveredar com as coisas deste mundo.

Mostre para os alunos que Isaque demonstrou ser um filho obediente, um homem paciente e um marido cuidadoso.
(Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal, Rio de Janeiro, CPAD, 2005,p.35). 

2. A bênção divina é passada de pai para filho. A bênção de Abraão foi transferida para Isaque, não pela hereditariedade em si, mas pela sua fidelidade a Deus. Seu caráter, demonstrado em sua conduta, agradou a Deus. E ele prosperou espiritualmente.

3. A prosperidade material. "E semeou Isaque naquela mesma terra e colheu, naquele mesmo ano, cem medidas, porque o SENHOR o abençoava" (Gn 26.12). Este é o segredo da vida de Isaque. Ele era abençoado por Deus. Deus dá bênçãos espirituais e também materiais, quando o homem obedece à sua voz. A produção dos seus campos lhe deu cem por cento de colheita (Gn 26.12). É preciso entender que a prosperidade material não é o objetivo da vida cristã, como propalam os adeptos da falsa "teologia da prosperidade". Mas Deus promete abrir "as janelas do céu" e derramar grande abundância; repreender "o devorador" e fazer as nações perceberem que seu povo é bem-aventurado, para quem é fiel nos dízimos e nas ofertas (Ml 3.10-12).

Teologia da Prosperidade
Por volta da década de 40 um pregador por nome Essek William Kenyon passou a ensinar que a saúde e a prosperidade são direitos de todos os crentes, nascia o chamado "Movimento da Fé". Muitos outros vieram e formaram a imensa galeria dos tais chamados "pregadores da prosperidade". No Brasil, principalmente, no chamado movimento neopentecostal é grandemente difundida essa teologia.
Esta heresia, como todo falso ensino, surgiu a partir de revelações extrabíblicas e prática de uma hermenêutica desonesta que força a interpretação do texto, mutilando o seu sentido. Essek Kenyon, pai desses ensinos, teve sua vida e ministério fortemente influenciados pelas seitas "Ciências da Mente" e "Ciências Cristã". A partir dele, de Keneth Hagin (1917-2003) e outros, o "Evangelho da Prosperidade", como também é conhecido, ganhou fama e peso nos movimentos neopentecostais.
A "Teologia da Prosperidade" cresce por várias razões a saber:
Primeiro: porque é muito atrativo, satisfaz exatamente aquilo que o homem mais gosta, uma vida financeira tranquila (Lc 12:16-19).
Segundo: porque as pessoas não parecem tão dispostas a assumirem as regras do verdadeiro discipulado (Mc 10:21,22)
Terceiro: mudança de conceito, o temporal passa a ter mais valor do que o eterno.
O exemplo da Igreja Primitiva nos ensina exatamente o contrário (At 2:44-46).
A ênfase da teologia da prosperidade inverte os valores da vida, ao invés de valorizar o ser, valoriza o ter (Fp 4:11,12; Mc 10:21-24). A experiência de Paulo estaria equivocada (Fp 3:10-19) e Tiago teria ensinado heresias (Tg 1:2-5).
Prosperidade como referência de quem vive a fé
Para os pregadores da prosperidade o sucesso na vida financeira é a marca de um cristão fiel, e a resposta às orações é uma prerrogativa do filho de Deus (Tg 4:1-3). No entanto a maior injustiça fica por conta de se colocar um peso sobre os ombros dos que não alcançam a tal prosperidade: Estão em pecado e não vivem com fé, ou estão debaixo de alguma maldição.
A teologia da saúde perfeita
A cura divina é uma realidade que todos nós cristãos acreditamos (Tg 5:14-15). É uma ordem de Jesus (Mc 16:14-18). Mas afirmar que o crente não pode ficar doente, porque faz parte da vontade de Deus para sua vida, é um grande engano. A vida tem dias bons e maus (Ec 7:14; 11:8).
(Revista Betel Dominical Adultos - 1T 2002 - Lição 2 - Pr.Lourival Dias Neto - pág.9-11)

III - LIÇÕES DO CARÁTER DE ISAQUE 

1. Um homem esforçado e trabalhador. A prosperidade que Deus concedeu a Isaque chamou a atenção dos filisteus. A bênção de Deus era tão grande que incomodava os filisteus (Gn 26.15,16). Há pessoas a quem Deus abençoa e os adversários ficam com inveja, desejando o mal aos servos de Deus. Mas a maldição não alcança os que são fiéis a Deus. Balaão foi convocado para amaldiçoar os filhos de Israel. Mas não conseguiu. "Como amaldiçoarei o que Deus não amaldiçoa?" (Nm 23.8). Deus converteu a maldição em bênção (Ne 13.2 b; Pv 10.22).

2. O caráter pacífico de Isaque. Ao sofrer terrível oposição dos invejosos e ser aconselhado a sair do lugar onde prosperara, Isaque não fez questão alguma. Foi habitar "no vale de Gerar" (Gn 26.17). Honrando o nome e a memória do seu pai, Isaque reabriu os poços que seu pai abrira e foram tapados pelos filisteus, e chamou os poços com os mesmos nomes dados por Abraão (Gn 26.18). Os pastores de Gerar questionaram os outros poços que Isaque abrira, mas ele não os confrontou (Gn 26.19,21).

Isaque teve várias oportunidades para contender com seus vizinhos, sobretudo a respeito dos poços entulhados pelos filisteus (Gn 26:15-25), mas ele preferiu o caminho da paz e da concórdia. Ele era um belo exemplo de filho de Deus, pois a Bíblia relata: Bem-aventurados os pacificadores, porque eles serão chamados filhos de Deus (Mt 5:9).
(Revista Lições da Palavra, Central Gospel, Pr. Geziel Gomes, ano 7, N.29, pág.42-43)

3. Um caráter resiliente. Após perder a posse de dois poços, Isaque não desistiu. Mais do que resistente, ele foi resiliente. Soube enfrentar as oposições sem se exasperar. Soube praticar a longanimidade (Gl 5.22). Continuou mandando abrir poços: "E partiu dali e cavou outro poço; e não porfiaram sobre ele. Por isso, chamou o seu nome Reobote e disse: Porque agora nos alargou o Senhor, e crescemos nesta terra" (Gn 26.22, 23). Era o "poço do alargamento" concedido por Deus. Livre da contenda, Isaque "subiu dali a Berseba," (Gn 26.28,29). Ali, Isaque e Abimeleque, rei de Gerar, fizeram um juramento de que seriam amistosos. Daí, Berseba significar "juramento", ou "poço do juramento. Em meio a essas experiências, "[...] apareceu-lhe o SENHOR naquela mesma noite e disse: Eu sou o Deus de Abraão, teu pai. Não temas, porque eu sou contigo, e abençoar-te-ei, e multiplicarei a tua semente por amor de Abraão, meu servo" (Gn 26.24).

Paciência e Perseverança
Ao lermos Colossenses 1:9-11, aprendemos a perseverar com paciência na fé cristã.
Quando estamos falando em "Paciência e Perseverança" estamos falando da capacidade destinada a superar obstáculos e manter-se fiel ao que se crê, na palavra de Deus, independente da situação.

Paciência, alegria e esperança
Em Romanos 5:3,4, constatamos a relação entre os seguintes termos: sofrimento, alegria, paciência e esperança. Estes versículos evidenciam o desenvolvimento e a maturidade cristã por meio do sofrimento e da paciência, conduzindo à esperança. Talvez, seja fácil esperar no momento em que as coisas caminham na normalidade; no entanto, quando os problemas persistem e mesmo se avolumam, nossa reação natural é desesperar-se e perder a fé. A paciência, como fruto do Espírito, não é a conformidade cega e funesta diante deste tipo de situação - é justamente o oposto: plena confiança no Senhor e no seu cuidado por nós.

Paciência e Sabedoria
As palavras de Provérbios 14:29 declaram: "O longânimo é grande em entendimento, mas o de ânimo precipitado exalta a loucura". O indivíduo paciente tentará compreender todos os lados do problema antes de tirar suas conclusões e fazer julgamentos. Esta característica ajuda os pais a educar os filhos sabiamente, promove a paz no corpo de Cristo e ajuda-nos em nossos apropriados relacionamentos interpessoais. Na Bíblia, ser forte é ser longânimo (Pv 16:32).

Paciência e Paz
A paciência, como fruto espiritual, é um recurso poderoso para apaziguar uma situação (Pv 15:18). O homem paciente não será controlado por impulsos, nem pela raiva, ao contrario, demonstrará a paz de Deus em suas ações, palavras e relacionamentos.

O Cristão e a Paciência
A paciência como fruto do Espírito no crente é essencial no relacionamento doméstico. O lar é um campo fértil para a produção deste fruto na família. É necessário revestir-se desta virtude para criar os filhos com amor e disciplina correta. O marido e a esposa precisam praticá-la um com o outro a fim de preservarem seu relacionamento amoroso.
Todos os aspectos da paciência divina: longanimidade, autocontrole, serenidade, tardio em irar-se, capacidade para suportar, perseverança e perdão, podem ser produzidos em nós pelo Espírito Santo, à proporção que somos chamados a exercê-los diariamente em nossos relacionamentos interpessoais.

(Revista Lições Bíblicas Adultos - CPAD - Pr. Antonio Gilberto - 1T 2005 - págs.43-45)

4. Obediência e submissão. Certamente, esses são os aspectos mais marcantes do caráter de Isaque. Ele soube honrar seu pai e sua mãe, como manda o Senhor (Êx 20.12). A prova mais eloquente desse caráter foi demonstrada, quando Deus falou com Abraão e ordenou que ele oferecesse o seu filho em holocausto (Gn 22.2). Isaque foi amarrado sobre o altar para o sacrifício, e não se rebelou. Mas obedeceu. Submeteu-se à vontade do pai. Deus não permitiu que Abraão o imolasse. E proveu um cordeiro para ser oferecido em seu lugar (Gn 22.11-13). Uma figura de Cristo oferecido em nosso lugar como "o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo" (Jo 1.29). Deus aceitou o gesto de Abraão como realizado pela fé (Hb 11.17-19).

Assim como Isaque, que já não era uma criança, poderia facilmente ter evitado tornar-se uma vítima, assim também o outro Isaque, o Senhor Jesus Cristo poderia, se o desejasse, ter evitado a cruz. Eis as suas palavras: 'Dou a minha vida pelas ovelhas... Ninguém ma tira de mim, mas eu de mim mesmo a dou. Este mandamento recebi de meu Pai' (Jo 10:15,18). O autor da carta aos Hebreus afirma que Cristo orou com grande clamor e lágrimas àquele que podia livrá-lo da morte (2:14,15), mas voluntariamente submeteu-se à vontade do Pai, 'sendo obediente até à morte, e morte de cruz' (Fl 2:8).
Muito mais forte que o amor de Abraão por Isaque foi, e ainda é, o amor do Pai Celestial por seu Filho Jesus. Contudo, para nos salvar Deus o entregou à morte, provando o seu amor por nós, sendo nós ainda pecadores (Rm 5:8; 8:32; Jo 3:16).
Abraão encontrou substituto para Isaque, mas para Jesus não havia substituto. Sua oração para que, se possível, o amargo cálice do sofrimento e da morte lhe fosse tirado, teve de ser completado por outra: 'não seja, porém, o que eu quero, mas o que tu queres' (Mc 14:35,36)'
(O Tabernáculo e a Igreja, CPAD, págs.12 e 13).

Professor, procure enfatizar as características de Isaque. Mostre que a sua mansidão "é vista em sua submissão sem resistência a seu pai ao tornar-se o sacrifício sobre o altar de Moriá, e em sua recusa a discutir quando os pastores de Gerar reivindicavam os poços. Ele possuía uma natureza afetuosa, profundamente ligado à mãe, chorando por sua morte, e sendo depois confortado em seu amor por Rebeca. Seu espírito mediador pode ter contribuído para seu afeto expansivo.
Ele era um homem que vivia em contato com Deus. Embora não tenha as visitações dramáticas que foram concedidas ao seu pai, Abraão, Isaque obedeceu aos mandamentos de Deus. O altar, a tenda e o poço simbolizavam os principais interesses de sua vida"
(Dicionário Bíblico Wycliffe. 1 ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2006, p.990).

CONCLUSÃO
A Bíblia nos mostra quão importante foi Isaque para história do povo de Deus. O seu nome se inclui entre os três patriarcas mais citados no Antigo Testamento e também no Novo. O Deus de Israel é o Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó. Que Deus nos abençoe para que nos espelhemos no caráter de Isaque para o fortalecimento da nossa fé no Deus Todo-Poderoso.

Isaque foi um homem próspero em todos os aspectos de sua vida. Como vimos, ele era submisso, paciente, pacificador e cheio de fé. Características essenciais a um homem de Deus. Que esta lição nos ajude a desenvolvermos uma vida de santidade e dependência de Deus, como Isaque fez. Que todos nós permaneçamos fiéis em tudo na nossa caminhada rumo à Canaã celestial.
(Revista Lições da Palavra, Central Gospel, Pr. Geziel Gomes, ano 7, N.29, pág.46).

PARA REFLETIR
A respeito de Isaque, um caráter pacífico, responda: 

Qual o significado do nome Isaque?
"Aquele que ri", "ele ri" ou "riso".

Que promessa Deus fez a Abraão, quando ele tinha 75 anos de idade?
Que ele seria "uma grande nação" (Gn 12.2).

Quais os aspectos mais marcantes do caráter de Isaque?
Um homem trabalhador, humilde e obediente a Deus.

Por que a bênção dada a Abraão foi transferida para Isaque?
Por causa de sua fidelidade a Deus.

Cite algumas características do caráter de Isaque.
Obediente aos pais, temente a Deus e pacificador.

Referências Utilizadas no Estudo
Bíblia Sagrada - Thompson - Edição Contemporânea - Editora VIDA, 2000
Fonte: CPAD, Revista, Lições Bíblicas Adultos, O Caráter do Cristão - Moldado pela Palavra de Deus e provado como ouro, Comentarista Elinaldo Renovato, 2 Trimestre 2017.

                                  AGORA VAMOS A VÍDEO AULA SOBRE ESTA LIÇÂO.  TENHA BOM ESTUDO !                             
Antes de Assistir os vídeos, se a radio do site estiver tocando, suba a página até a radio e 
toque no vídeo da musica que estiver tocando para interromper o som.




                                                                                                                                                                                     
[     

Olá, estimado professor, estamos iniciando a semana, e vamos começar nosso estudo para estarmos bem preparados para a aula do próximo domingo.
Que todo material de apoio destacados acima no meu comentário e aqui neste espaço abaixo venha contribuir para o aumento do nosso conhecimento:

Deus está acima de meros costumes sociais
A arqueologia tem confirmado que na época de Abraão, havia o costume de que uma mulher podia dar a seu marido uma concubina, para que os filhos desta fossem considerados filhos da esposa legítima. Esse costume também é confirmado em Gênesis 30:3 (no caso de Raquel) e em Gênesis 30:9 (no caso de Lia). Os filhos nascidos dessas uniões eram considerados filhos legítimos, como já dissemos, e não da concubina. Assim, a questão tem-se tornado foco de muita discussão em nossos dias, e estão sendo julgados vários casos na lei, procurando resolver quem tem direito de ficar com esses filhos (...)
"Algumas vezes é certo um homem fazer o que sua esposa lhe diz, mesmo que isso seja contra os seus sentimentos. Mas dessa vez, não foi certo. Abraão não consultou a Deus. Disso podemos ter a certeza. Ele ansiava por ter Hagar. Gostou do plano de Sara, embora tal plano não pudesse resolver o problema dele. Tal plano estava de acordo com os costumes sociais da época, pelo que não houve qualquer objeção a ele, nem moral nem legalmente. Deus, porém, está muito acima de meros costumes sociais. Nem todos esses costumes são naturais e corretos."
(O Antigo Testamento Interpretado, CPAD, vol 1, pág. 123).

SAQUE - Definição segundo Dicionário Bíblico Wycliffe 
O nome dado por Deus antes do nascimento da criança (Gn 17:19) significa 'ele ri', 'aquele que ri', ou simplesmente 'riso'.
Nada é conhecido sobre os dias da infância de Isaque. Em seguida, vemo-lo grande e forte o suficiente para carregar a madeira para o fogo do altar subindo a montanha, não sabendo que ele mesmo seria colocado no altar. A experiência de ter sido amarrado como uma vítima de sacrifício e então liberto pela intervenção divina deve ter afetado profundamente toda a sua vida.
(Dicionário Bíblico Wycliffe, 1 ed. Rio de Janeiro, CPAD, 2006, p. 989).

                                                                                                                                                                                     

INTERAGINDO COM O PROFESSOR
Na lição deste domingo, estudaremos a respeito de Isaque, o filho da promessa. Deus havia prometido a Abraão um herdeiro, porém sua idade e a da sua esposa já eram bem avançadas. Continuar esperando o cumprimento de uma promessa a essa altura da vida não parecia nada fácil. Mas Deus é fiel e vela por sua palavra. Se Ele fez uma promessa a você, creia que no tempo certo ela se cumprirá.  Abraão e Sara devem ter criado o filho da promessa com muito amor e carinho, contribuindo para desenvolver em Isaque um caráter manso, pacificador e humilde. Isaque recebeu uma boa educação e decidiu fazer boas escolhas. Deus o abençoou em todas as áreas, mas, não significa que sua vida foi fácil. Ele teve de enfrentar a esterilidade de sua esposa, vizinhos invejosos e maus. Todavia, diante das adversidades, demonstrou ter um caráter pacífico e confiante em Deus.
(Revista Lições Bíblicas, 2T 2017 - CPAD, Lição 4 - Pr. Elinaldo Renovato - pág.26).

SUBSÍDIO TEOLÓGICO
"Idade de Noventa e Nove Anos
Abrão agora estava com noventa e nove anos e Sarai já há muito ultrapassara a idade de ter filhos. Mas treze anos após o nascimento de Ismael e vinte e quatro anos depois da promessa original de Deus, o Senhor apareceu a Abrão com uma mensagem e exigência. (1) Deus se revelou como o "Deus Todo-Poderoso", significando que  Ele era onipotente e que nada lhe era impossível. Como Deus Todo-Poderoso, Ele podia cumprir suas promessas, quando na esfera natural tudo dizia ser impossível o seu cumprimento. Então, seria por um milagre que Deus traria ao mundo o filho prometido a Abrão. (2) Deus ordenou que Abrão andasse diante dEle e que fosse 'perfeito'. Assim como a fé de Abrão foi necessária na efetuação do concerto com Deus, assim também um esforço sincero para agradá-lo era agora necessário, para continuação das bênçãos de Deus, segundo o concerto feito. A fé de Abrão tinha que estar unida à sua obediência (Rm 1.5); senão ele estaria inabilitado para participar dos propósitos eternos de Deus. Noutras palavras, as promessas e os milagres de Deus serão realizados o seu povo busca viver de maneira irrepreensível, tendo o seu coração voltado para Ele"(Bíblia de Estudo Pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, 2006, p. 56).

SUBSÍDIO BIBLIOLÓGICO
"Em uma família de poderosos empreendedores, Isaque era do tipo quieto, que cuida apenas de sua vida, até que foi especificamente chamado para agir. Ele foi o filho único e protegido, desde o momento em que Sara se livrou de Ismael, e até que Abraão arranjou seu casamento com Rebeca. Em sua própria família, Isaque tinha a posição patriarcal, mas Rebeca tinha o poder. E em vez de defender suas convicções, Isaque achou mais fácil fazer concessões ou mentir, para evitar confrontos. Apesar desses defeitos, Isaque fazia parte do plano de Deus" (Bíblia de Estudo Cronológica Aplicação Pessoal. Rio de Janeiro: CPAD, p. 44).

CONHEÇA MAIS
* "Isaque
O nome dado por Deus antes do nascimento da criança (Gn 17.19) significa 'ele ri', 'aquele que ri', ou simplesmente 'riso'.
Nada é conhecido sobre os dias da infância de Isaque. Em seguida, vemo-lo grande e forte o suficiente para carregar a madeira para o fogo do altar subindo a montanha, não sabendo que ele mesmo seria colocado no altar. A experiência de ter sido amarrado como uma vítima de sacrifício e então liberto pela intervenção divina deve ter afetado profundamente toda a sua vida."  Para conhecer mais leia, Dicionário Bíblico Wycliffe, CPAD, p. 989.

SUBSÍDIO DIDÁTICO
Professor, procure enfatizar as características do caráter de Isaque. Mostre que a sua mansidão "é vista em sua submissão sem resistência a seu pai ao tornar-se o sacrifício sobre o altar de Moriá, e em sua recusa a discutir quando os pastores de Gerar reivindicavam os poços. Ele possuía uma natureza afetuosa, profundamente ligado à mãe, chorando por sua morte, e sendo depois confortado em seu amor por Rebeca. Seu espírito mediador pode ter contribuído para seu afeto expansivo.
Ele era um homem que vivia em contato com Deus. Embora não tenha as visitações dramáticas que foram concedidas a seu pai, Abraão, Isaque obedeceu aos mandamentos de Deus. O altar, a tenda e o poço simbolizavam os principais interesses de sua vida" (Dicionário Bíblico Wycliffe. 1ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2006, p. 990).

                                                                                                                                                                                      

Nenhum comentário:

Postar um comentário